Figuras de linguagem – resumo e exemplos

Figuras de linguagem – resumo e exemplos

Última atualização em 24 de dezembro de 2020

Neste artigo, você pode aprender todas as figuras de linguagem – resumo e exemplos. Além disso, disponibilizamos origem e conceito das 16 figuras de linguagem mais usadas. Vamos aprender.

Figuras de linguagem - resumo e exemplos

Anáfora

Anáfora também é uma figura de linguagem, ela faz parte da figura de construção ou figura de sintaxe e pode ser entendida através de seu conceito, etimologia e por meio dos exemplos para trazer mais clareza sobre o assunto.

É importante ter a base de conhecimento sobre as figuras de linguagem ou figuras de estilo, boa parte delas é usada em nosso cotidiano.

Anáfora Origem

Assim como as demais figuras de linguagem, a Anáfora também deve ser entendida desde sua origem que vem do grego, temos assim uma separação da palavra para maior entendimento, sendo o “ana” o prefixo, que em sua tradução pode ser entendida compreendida como “repetição”.

A palavra “phéro”, pode ser entendida como verbo e terá o seu significado por meio de “suportar”, “Manter”.

Assim podemos partir para o conceito de Anáfora.

Anáfora Conceito

Essa é uma figura que a princípio podemos chama-la de figura da repetição na estrutura gramatical. Ela vai acontecer por meio de uma palavra ou com uma variação sucessiva de repetições de uma palavra, oração, versos ou mesmo períodos.

Exemplo:

Se você gemesse

Se você tocasse…

Se você dormisse.

É uma passagem do trecho de um verso do autor Carlos Drummond de Andrade, nela é possível encontra que é uma frase poética, e que existe a repetição.

Eu quero Amor!

Eu quero Alegria!

Eu quero calor!

Eu quero fantasia!

O conceito de Anáfora também pode se dá quando dizemos que, essa é uma figura de linguagem que por meio do uso consciente de quem vai empregar a palavra ou a expressão usará a repetição com a intenção de reforçar o seu sentido final.

É pau, é pedra, é o fim do caminho

É um resto de toco, é um pouco sozinho

É um caco de vidro, é a vida, é o sol

É a noite, é a morte, é o laço, é o anzol…

Esse é um trecho da música Águas de Março composta e interpretada pelo Tom Jobim em parceria com Elis Regina, dessa forma é notável que encontre assim o uso repetitivo do “É’, assim foi feito o uso consciente para causar sentido no que deseja.

Veja os demais exemplos que você pode encontrar com as orações de Anáfora.

“Que ninguém mais merece tanto amor e amizade,

Que ninguém mais deseja tanto poesia e sinceridade,

Que ninguém mais precisa tanto de alegria e serenidade’.

“João que amava Teresa que amava Raimundo

que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili

que não amava ninguém…” Trecho de Carlos Drummond de Andrade

Antítese

Toda figura de linguagem tem os seus tipos e como são várias classificações, a figura de linguagem que você pode estudar é a Antítese por meio de seu conceito, e dos exemplos para facilitar o entendimento de qual é a sua função.

Origem

A sua é uma previa do que significa a Antítese, ou seja, é por meio da etimologia que você descobre o que vem a ser Antítese antes mesmo da conceituação. Em seu termo grego antithesis pode significar “oposição”, “resistência”, então a partir desse ponto você terá mais entendimento do conceito.

Conceito de Antítese

Como a Antítese faz parte de figura de pensamento, pode ser vista como contraposição ou ainda, pode ser definida como uma utilização feita entre as palavras para dá o tom de oposição.

Exemplo: Viver e morrer são as coisas mais naturais do mundo.

Veja o segundo exemplo:

Exemplo: A alegria e a tristeza fazem parte do meu trabalho.

Mais um complemento do que vem a ser Antítese, essa figura pode ser conceituada como o uso de uma palavra ou expressão como intuito de sentido oposto, ou seja, a frase criada dará maior expressão em sua utilização.

Exemplo: Educação é luz sobre trevas.

Nesse exemplo, temos a palavra luz afirmando que existe um caminho iluminado, e trevas que pode ser dito como um caminho mais escuro.

A Antítese também pode ser encontrada em versos, mas não deve ser confundida com paradoxo,

veja os exemplos em versos:

Exemplo: Sou teu céu e teu inferno, sou teu tudo, sou teu nada.

É importante frisar que paradoxo faz uso das palavras para oposição porém é para causar ideia ou expressão, no caso da antítese, ela também terá palavras de oposição, e por ser contrárias ele reforça o que deseja transmitir.

Não existiria som se não houvesse silêncio – Lulu Santos

Amor e ódio são sentimentos que andam lado a lado.

O mal dos médicos é conviver com saúde e a doença.

Ela estava entre a vida e a morte.

Catacrese

Catacrese

Catacrese é mais um conceito de figura de linguagem, um estilo de linguística que pode ser usado como as demais figuras no dia a dia.

Entender o conceito e ver as suas exemplificações, faz com que o estudante tenha maior entendimento sobre o assunto.

O que é Catacrese

De acordo com sua origem etimológica a palavra Catacrese está ligada ao derivado do latim, mas conhecido como “catachresis”, onde também de origem grego como katákhresis, essa tem o significado de mau uso ou uso errado, ou ainda uso impróprio.

Sendo uma figura de linguagem essa será em sentido de “uso impróprio da palavra”.

O conceito de Catacrese é porque ela faz parte da figura de linguagem e é uma figura de semântica ou palavra, esse tem como finalidade ser uma figura que ocorre quando uma determinada palavra se transforma em complemento da outra.

Veja os exemplos:

Exemplo: O pé do guarda-roupa estava quebrado

A iniciação (pé do guarda-roupa) traz justamente essa relação de que a palavra “pé” foi utilizada como complemento ou empréstimo para entendimento de outra palavra.

Catacrese pode ser entendida também como o uso de uma determinada palavra ou mesmo de uma expressão que deixa descrito o que ser quer de fato de uma expressão, esse uso é adotado por não existir outra palavra concreta que possa descrever a expressão.

Exemplo: Coloquei na salada um dente de alho.

Na frase você encontra “dente de alho”, claramente não existe dente de alho, e apenas alho como ele possui divisões que remete a um dente a palavra foi utilizada para ser a mais apropriada possível para a expressão.

A catacrese pode ser vista como uma figura especial, isso porque ela também remete a metáfora, e é possível ver dessa forma através dos exemplos que segue abaixo:

Exemplo: A frase dele estava ao pé da folha.

Exemplo: Um beijo seria uma borboleta afogada em mármore. Essa frase é um trecho escrito pela autora Cecília Meireles e que é muito utilizado como exemplo de catacrese.

Note que a primeira frase está metaforicamente dizendo que ao pé da folha, ao imaginar essa expressão sabemos que a folha não possui pé, mas é uma forma de afirmar que a frase está na parte inferior.

Já na segunda frase, tem uma frase muito usada para esse entendimento, fazer a associação de um beijo, com a borboleta afogada, isso ao ser imaginado claro que inexiste, porém é uma metáfora original em que está associado ao sentimento ou a sensibilidade de um ser.

Outros exemplos que você pode encontrar em frases catacreses:

Exemplo: Cabeça de prego, dente de alho, pé da mesa, asa da xícara, braço da poltrona, vinagre de maçã, mão de faca.

Comparação

Dentro da Figura de Linguagem temos uma subdivisão composta por: Figuras de Palavras, figuras de Pensamentos, Figuras de Sons e Figuras de construção. Neste artigo você vai encontrar Comparação que estar ligado a Figuras de palavras/semânticas.

Antes de chegar ao termo Comparação, você precisa entender brevemente o que vem a ser figuras de linguagem. O seu conceito está baseado em Figuras de Linguagem pode ser dita também como Figuras de Estilo, essa por sua vez, é um recurso de estilo escrito ou mesmo oral para expressa um pensamento ou a ideia de uma mensagem.

Toda prova sempre acaba trazendo aquele conteúdo que é um pouco esquecido pelos estudantes, e mesmo que seja lembrando naquele preparatório ou em um conteúdo de concurso público, boa parte acaba deixando de lado conteúdos importantes.

Figuras de Linguagem faz parte do cotidiano de todos e é através dele que conseguimos definir algumas expressões de pensamento. Dentro do estudo de Figuras de Linguagem temos as suas subdivisões, dentro de uma delas o artigo será baseado em Comparação que faz parte da Figura de Semântica.

resumo

Se você estudou sobre Metáfora, vai achar que comparação tem alguma semelhança. As vezes esses dois termos são confundidos, mas um se difere do outro. A comparação é um tipo de figura de linguagem em que mostra as qualidades ou as ações de um elemento, uma forma de troca de lados, porém não pense que isso é metáfora.

As semelhanças são grandes mais a conectividade de Comparação fica bem mais explicita nas frases. Esse conectivo você pode encontrar nas palavras (Como, Parecia, Com, Quanto, Sem, Assim, Qual, Tal), essas são algumas palavras que você pode encontra nas frases e as mesmas terão diferenciação da metáfora.

Exemplos

Temos um pequeno exemplo:

O amor queima como o fogo.

Nessa frase as palavras Fogo e Amor continuam tendo suas finalidades, porém o que as conecta para ter uma comparação é a palavra “como” criando uma espécie de semelhança e comparação das duas palavras.

Um outro exemplo que pode remeter nesse assunto também usando a palavra “como” seria:

Sua voz é como o canto de um pássaro.

Estamos comparando a voz de quem canta, com o canto de um pássaro, para fazer esse conectivo comparativo temos assim a palavra “como”.

Diferenças

Por isso é sempre importante lembrar que por mais que a metáfora remeta a comparação elas se diferem porque Comparação sempre terá sentido conectivo de semelhança explicita.

Além dessa figura de linguagem existe os demais temas que serão abordados para que você conheça cada uma das figuras de linguagens.

Elipse

Elipse

Elipse é mais uma das figuras de linguagem e como também uma figura usada no cotidiano, é importante que tenha embasamento em estudo de sua origem, de seu conceito e dos exemplos apresentados.

A Elipse faz parte da figura de Construção ou de ser chamada também de figura de sintaxe.

Elipse Origem – Etimologia

De antemão é importante ter base do que vem a ser a origem de Elipse, com isso, teremos a origem da palavra Elipse, por meio do termo grego “élleipsis”, onde o seu significado seria “defeito”, ou quem sabe “falta”, por meio dessa origem temos assim o conceito breve de Elipse.

Elipse Conceito

Diante de sua estrutura gramatical, a Elipse é uma figura de linguagem que tem como finalidade ser uma figura que pode ser caracterizada como uma maneira de omitir uma determinada situação dentro do texto, ou ainda, pode ser a utilização de uma palavra ou de uma expressão de omissão que dentro da frase onde será notada.

Exemplo:  Na aula de inglês, apenas quatro ou cinco alunos.

Nessa construção, a omissão parte de quando no texto fica subentendido que poderia ter na sala de inglês apenas quatro ou cinco alunos, ou seja, o verbo haver é a ligação que deve ser compreendida.

Exemplo:

A vida talvez fosse boa, não houvesse tanta tristeza.

Nessa oração temos uma situação de ausência, a conjunção “se” seria importante no uso para compreender melhor a frase.

Exemplo: Na minha mesa, papéis e livros.

Nessa frase temos mais um exemplo da ausência de um verbo, o “haver”, onde se existisse essa sentença na frase, a sua oração seria “Na minha mesa há papéis e livros”. O Haver nesse caso, fica oculto.

Chegamos tarde hoje.

Ora, nesse caso teremos assim o pronome “nós”, ocultado na frase, caso ela fosse colocada, a frase seria: Nós chegamos tarde hoje.

Um fato importante que deve ser lembrado, além de Elipse, a figura de linguagem Zeugma também possui essa característica, a de omitir por uma palavra ou expressão. Mesmo que elas tenham a mesma característica elas são totalmente opostas.

A Elipse é uma figura que omite em um termo que jamais foi citado na frase, mas fica subentendido. No caso da figura Zeugma, essa tem a finalidade de omitir por meio de um elemento já expresso na frase.

É importante frisar que a figura de linguagem Elipse tem como objetivo central além de fazer valer o seu conceito, ela também tem função de ser uma atribuição maior na sua expressão na construção de um texto.

Exemplos

Flores, Nunca vi tão belas!

Preferir não parar, estava muito apressado.

A menina sorria, os olhos brilhavam.

Se me obedeceres, terás a recompensa.[

As rosas florescem em Maio, as margaridas em Agosto.

Eufemismo

Eufemismo é mais uma das figuras de linguagem que está relacionada a estrutura gramatical e que é encontrada dentro da classificação de Figuras de linguagem em figura de pensamento.

Por isso, é importante conhecer um pouco de sua origem, como também fazer entendimento breve de seu conceito e ter exemplos simples para associar ao conceito dado.

Eufemismo Origem

Antes de tomar um conhecimento breve sobre o conceito de Eufemismo, é importante saber a sua etimologia, ou a chamada origem da palavra.

Por isso, segundo o vocabulário a palavra Eufemismo no grego está “eu”, que significa que é algo agradável, ou algo bom, e na palavra “pheme” quer dizer palavra.

Ora, se fazemos a união dessas duas palavras “euphémein” tem como ser em seu significado “bem falar”, “bem dizer”, “palavras de bem” , “palavras agradáveis”, por essa origem, formamos assim a sua origem conceitual.

Eufemismo Conceito

Eufemismo é uma figura de linguagem e sua maior finalidade dentro de uma estrutura gramatical é de amenizar ou suavizar uma expressão ou uma palavra utilizada na frase para não se torna tão rude ou pesada ao longo de sua construção.

Exemplos

Confira um exemplo para entender o que vem a ser o conceito:

Exemplo: Comer capim pela raiz.

É um exemplo que está relacionado com a morte, uma maneira de suavizar a grosseria. Mais você também pode entender no conceito de Eufemismo como uma troca de palavra ou de expressão para não ser indelicado com quem ler ou ouvi a expressão.

Exemplo: você é uma mulher desprovida de beleza.

Quando lemos o exemplo, identificamos que a intenção na frase era de afirmar que a mulher era feia.

Veja o próximo exemplo!

Exemplo: Ele subtraiu o tablet da jovem no ônibus.

Ao ler a frase, identificamos a palavra subtrair significa junto a construção do texto que ocorreu um roubo.

Leia mais exemplos sobre eufemismo!

Amaro estucou as canelas.

Aquele lá foi para a terra dos pés juntos.

Não se deu bem no vestibular.

Lucia partiu dessa para melhor.

Gradação

Gradação

Dentro de figuras de linguagem temos várias referências de figuras, entre elas temos a Gradação e por fazer parte das figuras de semânticas ou de palavras, é importante conhecer a sua estrutura gramatical em conceito, origem e através dos exemplos.

etimologia

Brevemente, a sua origem etimológica pode ser vista como na palavra latim gradatio, que significa “aumento”, “alteração”.

conceito

Essa figura pode ser compreendida como, “gradação” é uma função em que a sua sequência de expressão ou mesmo as de palavras terá uma intensidade de ideia ou elemento.

Também pode ser compreendida como ter uma característica em que transforma uma coisa em outra, promovendo assim um valor em sua repercussão.

Vejamos um outro exemplo

Exemplo: “É pau, é pedra, é o fim do caminho”. Tom Jobim

Esse é um trecho breve da música Águas de Março de Tom Jobim em parceria com Elis Regina, nela encontramos um certo obstáculo na frase onde não sabemos onde a frase de fato deseja chegar, isso porque a frase termina em ”é o fim do caminho”. Ou seja, não traz efeito de intensidade.

Exemplo: Não quero mais saber de você, eu te odeio Bruno, saia definitivamente de minha vida!

A frase é grande mais é perceptível que encontramos uma emoção ou sentimento na frase. Esse sentimento vai crescendo na medida em que a frase é construída, note que se é falado “eu te odeio”, “saia da minha vida” essa frase traz consigo a sua função de gradação ou seja uma ordem.

Existe uma certa semelhança e comparação entre Gradação ou Clímax, sim, gradação também é conhecida por ser Clímax.

Como já é notado nos exemplos, gradação é uma característica de palavras que dão aumento ou diminuição de sua ordem. O clímax pode ser figurado nesse sentido, empregar as palavras para ter o intuito de ênfase nas ideias, no pensamento, no sentimento, no ritmo em que ela se encontra.

Veja mais exemplos.

Eu era pobre, era subalterno, era nada. (- Monteiro Lobato)

O que é aquilo no céu? é um homem? é um avião? é o Superman!

De repente o problema se tornou menos alarmante, quase nada!

Hipérbole

Para conhecer ainda mais as figuras de linguagem, a Hipérbole é uma das tantas figuras que é utilizada no dia a dia, e como é importante ter conhecimento prévio de seu conceito, origem e ter esse embasamento em exemplos, você vai saber como a Hipérbole funciona na estrutura gramatical.

Origem – etimologia

Para inicia um estudo breve sobre essa figura, é importante conhecer a sua origem que a palavra hipérbole tem como origem ser do latim hyperbole, dando assim também ser originada pelo grego hyperbolé.

Mediante isso, separamos as palavras e “hiper” e tendo ela como significado “sobre”, “por cima”, quando verificamos a sua terminação em ‘bole”, teremos o significado de “atirar”, “lançar”. quando fazemos a junção das palavras o significado que ela vai obter é “lançar algo além” ou “ato de atirar”, e dando assim o completo de Exagero ou Excesso.

Com base nesse significado é que se dá início ao conceito do que vem a ser Hipérbole junto aos exemplos.

Hipérbole Conceito

Essa figura tem como intenção ser ou passar um exagero através da ideia ou de uma expressão de maneira intencional.

A Hipérbole faz parte da figura de pensamento e para ter o início do entendimento sobre o que essa figura representa.

Veja o exemplo abaixo

Exemplo: Comprei meu celular na internet e a encomenda demorou 100 anos para chegar.

Ora, sabe-se muito bem que ninguém espera 100 anos por um produto, ou seja, existe um exagero para falar sobre o tempo de espera da encomenda.

Veja mais um exemplo abaixo:

Exemplo: A sacola de compras está pesando uma tonelada.

Claro que existe e é visível o excesso na frase acima, ninguém carrega uma tonelada em uma sacola.

Para ter maior explanação sobre Hipérbole, vamos acrescentar mais um breve conceito, utilizando-se de outras palavra, na língua portuguesa Hipérbole vem a ser a expressão ou ainda a ideia exagerada do que de fato se quer dizer.

Podemos ainda fazer uma comparação para relembrar o que é eufemismo, enquanto o eufemismo tenta amenizar a expressão, a função da Hipérbole é justamente intensifica a ideia ou a expressão.

Veja os demais exemplos.

Estou morrendo de fome.

Liguei para Joana milhões de vezes.

Paulo demorou um século para chegar em minha casa.

Chorou um mar de lágrimas.

O filme me fez cair na risada.

Ironia

A figura de linguagem Ironia faz parte dos tipos de figura que existe, e nesse caso, é importante entender o seu conceito e ter alguns exemplos para saber ou relembrar sobre uma temática que faz parte do cotidiano de todos.

Etimologia

Estudar as figuras de linguagem faz parte do processo de conhecimento gramatical e de sua estrutura nas frases.

Antes mesmo de ter noção sobre o que vem a ser o termo Ironia, é justo que tenhamos um breve conhecimento de sua origem.

Essa palavra na derivação do latim, é chamada de ironia, mas a sua origem é de fato grega e pode ser chamada de eironeia, que significa “disfarce” ou pode ser interpretado também como “dissimulação”.

Desse significado podemos criar assim a sua contextualização que vai ser base nas frases usados em nosso dia a dia.

Ironia – Conceito

Após saber como funciona a origem dessa figura de linguagem é importante saber como ela é conceituada.

Ironia é a relação da palavra ou de uma determinada expressão em que sua forma tenha um sentido diferente do que geralmente ela é com a ideia de causar humor.

Exemplos

Fale mais alto, lá no final da rua ainda não consigo ouvir.

Se você analisar a frase, vai notar que alguém na frase fala muito a baixo do que o imaginado, ou seja, fale mais alto. Com um tom irônico afirmando que a distância.

O Luís é uma pessoa educada! Entrou em casa sem cumprimentar.

Notável que na frase a ironia fica evidente, quando você afirmar que a pessoa não cumprimentou, isso fala que a educação dela não exista por mais que ela saiba que deva cumprimentar ao chegar em casa.

Podemos usar três teorias para explicar os tipos de ironia, sendo elas:

Ironia de Situação: é quando o resultado de uma ação se torna contrária ao desejado ou esperado.

Ironia Oral: nesse caso a pessoa fala uma coisa, mas a sua intenção é de falar outra, porém o significado da palavra usada se torna literal.

Ironia dramática: Nessa situação, temos a palavra colocando em questão o entendimento com uma situação ou um personagem. Esse vai depender de como será construido a frase.

Confira mais exemplos relacionado:

Oba, vamos ter que refazer todo o trabalho essa semana!

Você está tão perfumada, Lucia. Quantos litros de perfume usou?

Eu sou ateu graças a Deus.

Por tanto, se ela é a figura de linguagem que você estuda no momento. Saiba que esta é uma linguagem que tem a intenção de ser usada para dizer o oposto.

Metáfora

Metáfora – A origem dessa palavra vai soar dessa maneira Metaphora, palavra essa que vem do grego e pode significa “transferência” ou “Troca de Lugar”, por este significado poderemos assim ligar ao seu conceito básico encontrado em Figuras de Linguagem.

O que é

Metáfora segundo a figura de linguagem é uma maneira de estabelecer que exista uma certa semelhança entre uma palavra, ou seja, ela sai de seu contexto literal e se torna figurado.

A Metáfora acaba se tornando de certa maneira uma comparação da palavra diante de uma frase. Temos o nosso primeiro exemplo para que você tenha entendimento.

Todo estudante sempre está em busca de um suporte para seus estudos, e como Figuras de Linguagem é um assunto complexo e extenso nada melhor do que entender de cada conteúdo de forma simples e objetiva.

Esse é um assunto pouco cobrado em provas, mas acaba virando surpresa para quem faz o Enem, Encceja, concurso, escola, faculdade ou qualquer outro tipo de prova, por isso confere o que vem a ser Metáfora!

Antes de entrar diretamente no conteúdo, é bom fazer uma breve recordação do que vem a ser Figura de Linguagem. Esse é um recurso aplicado ao texto com o intuito de conseguir levar um determinado efeito podendo esse ser por meio de uma ideia, pensamento, dessa forma ficará fácil de identifica a forma de interpretação do texto.

É importante ressaltar que a Figura de Linguagem ou de Estilo tem subdivisões sendo ela em Figura de palavras, Figura de Construção, Figura de Pensamento ou Figuras de Sons/Harmonia. Para este artigo, você vai conhecer uma Figura de linguagem chamada de Metáfora que está liga a Figura de Palavra/Semântica.

Exemplos

Joana é uma flor.

Note que a palavra ela é caracterizada pela “flor” que pode ser pela beleza que a flor no sentido literal possui, como também comparar que Joana é uma flor associado a beleza, a pureza, a simplicidade da natureza. É dessa maneira que a palavra dentro da frase acaba ganhando um sentido associação ao literal com o figurado.

O motoqueiro é lento como uma lesma.

Esse é outro exemplo pode fazer o estudante ter mais proximidade entre o que vem a ser a metáfora, na frase ” O motoqueiro é lento como uma lesma”, ao analisar essa frase é possível ver que a palavra “lesma” acaba sendo ligação de “lento”.  A palavra lesma que é o mesmo de um molusco acaba mostrando que existe uma ligação figurada devido à demora ou lentidão desse motoqueiro.

Dessa forma a metáfora que tem como base estabelecer semelhança na palavra usada, lembrando que Metáfora se difere de Comparação que também é figura de linguagem. A metáfora faz parte da subdivisão dos tipos de figura de linguagem e pode ser encontrada em Figuras de Semânticas.

Metonímia

Metonímia

A Metonímia faz parte de uma das categorias de figuras de linguagem e é parte integrante da figura de semântica, as vezes é confundida como metáfora. E tem como alguns conceitos ser uma metonímia tem como finalidade dá lugar de uma palavra para outra.

Estudar as estruturas gramaticais é sempre um grande desafio, e quando são temas surpresas nas provas acaba exigindo que os estudantes fiquem atentos aos temas, isso também está incluso as figuras de linguagem, a Metonímia faz parte de uma das subdivisões das figuras de palavras e pode ser uma opção nas provas.

Essa relação pode ser de maneira qualitativa e quantitativa onde sempre fará uma ligação da palavra para a outro.

Como uso Metonímia

O uso de Metonímia ocorre quando há substituição de uma palavra por outra, havendo entre ambas algum grau de semelhança, relação, proximidade de sentido. Tal substituição fundamenta-se numa relação objetiva, real.

O autor pela obra

Ouvi Mozart com emoção. (a música de Mozart) Leio Graciliano Ramos porque ele fala da realidade brasileira. (obra de Graciliano Ramos)

O continente (o que contém) pelo conteúdo (o que está contido)

Ele comemorou tomando um copo de caipirinha. (Continente: um copo; Conteúdo: caipirinha contida no copo)

A parte pelo todo

” o bonde passa cheio de pernas.” (Drummond) (pernas = pessoas)

São muitas as famílias que procuram um teto para morar. (teto = casa)

O singular pelo plural

” Todo homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.“ (homem = Humanidade)

A mulher foi chamada para ir às ruas na luta contra a violência. (mulher = todas as mulheres)

O efeito pela causa

Com muito suor o operário construiu sua casa. (suor = casa)

As indústrias despejam a morte nos rios. (morte = poluição)

A matéria pelo objeto

Os bronzes tangiam avisando a hora da missa: (bronze = sino) Os cristais tiniam na bandeja de prata. (cristais = copos)

Veja o exemplo abaixo

Gosto de ler José de Alencar.

Ora, nessa frase vemos que temos o autor conhecido em todo o mundo pelas obras literárias, com isso a palavra ‘ler’ remete a livros. Veja o segundo exemplo para obter maior noção.

Vamos dar uma passada na Rosa para ficar a semana.

Quando notamos essa frase, percebemos que a expressão “passada na Rosa”, significa que vai passar na casa da Rosa. Esse é um método usado para lugar de propriedade ou proprietário.

Etimologia de Metonímia

O entendimento do conceito antes de tudo vai partir da etimologia, ou a chamada origem da palavra.

A palavra metonímia segundo a estrutura grego metonymía em sua divisão pode ser traduzida da seguinte maneira, meta significa mudança ou mudar, e o termo onoma quer dizer “nome”. Dessa maneira será o derivado de “Mudança de Nome” ou “modificação de nome”.

É dessa premissa que surge assim seu conceito que quer dizer que Metonímia é a substituição de uma palavra por outra.

O Pedro respeita os cabelos branco de Valmir.

Quando associamos ao cabelo branco, queremos falar da idade daquele sujeito, ou seja, a consequência nessa situação é de causa, sendo assim uma passagem no tempo de quem respeita para quem está sendo respeitado.

Segue mais exemplos:

Ayrton Senna foi um maravilhoso volante.

João comeu um prato no almoço.

Completou quinze primaveras.

Assistiu Tempo Modernos.

Minha filha gosta de Danone.

É importante lembrar que a Metonímia tem semelhança com a metáfora, porém essa não deve ser confundida.

Assim, é sempre recomendável ter o entendimento que Metonímia substitui uma palavra para dá o mesmo sentido. Será sempre possível encontrar textos que traga a metonímia como referência de linguagem.

Paradoxo

Saber um pouco mais sobre conceitos e exemplos de Paradoxo é importante para obter mais entendimento sobre as figuras de linguagem.

Paradoxo – O que é

Como o Paradoxo faz parte das figuras de estilos nele podemos encontrar a sua junção ou conceituação em figuras de pensamento.

Esse é mais um tema que pode cair em uma prova surpresa, ou quem sabe em um concurso, existe vários outros tipos de linguagens, mas nesse artigo você terá uma breve conceituação sobre o que vem a ser Paradoxo.

Figura de linguagem – Paradoxo

Brevemente podemos iniciar a explicação dessa figura como tendo sua origem etimológica tendo a origem paradoxos, significando assim como algo contrário ao que seja, ou em sua origem latina, pode significar como uma “opinião contrária”, ainda pode ser como como uma “oposição”.

Tendo em vista esse breve significado, teremos assim como conceito que essa figura é nada mais e nada menos que uma união de ideias opostas, ou ideias contrárias assim dizendo.

Em algumas circunstâncias vai parecer sem lógica, porém estará mencionado o que existe de mais real.

Estou dormindo acordado.

Nessa frase temos uma expressão original do que seja o Paradoxo, aparentemente a expressão de ideia é um tanto fora do comum, porém se torna real.

É como se dormir acordado fosse uma junção ou complemento do que a frase precisa ter para que o receptor entenda assim o que o emissor deseja falar.

O amor é fogo que arde sem se ver.

Ora, se na frase criada por Camões você associa o amor, como fogo (termo real), que ele queima por dentro, porém você não ver esse tal sentimento chamado de amor, ou seja, você apenas sente ele.

Paradoxo – como usar

Esse é um tipo de figura que foi muito utilizado na literatura barroca, era uma forma que alguns escritores encontravam de transmite a ideia de oposição com os dilemas, com as associações que o pensamento tinha.

Muitas vezes, as frases eram tão complexas que muitos não entendiam o que de fato o autor queria transmitir, mas até os dias atuais, essa figura tem grande influência.

Exemplos de Paradoxo:

O nada é tudo.

O silêncio é o melhor discurso.

O riso é uma coisa séria.

Quanto mais damos, mais recebemos.

O melhor improviso é aquele que é melhor preparado.

Personificação

Em figuras de linguagens existe um tipo de figura chamada Personificação, e como ela faz parte de uma das subdivisões, o estudante terá uma breve explicação sobre o tema e ter nota máxima na prova!

O conteúdo gramatical é muito simples e mesmo que exista as regras, basta o estudante seguir as regras e se ficar na dúvida pode consultar o conteúdo novamente.

Quem está constantemente estudando e revisando assuntos de gramática, sabe que estudar Figuras de Linguagem é bem complexo e extensos, existe vários tipos de figuras e são elas que o estudante deve sempre revisar para não perder nenhuma questão importante na prova.

Figuras de Linguagem – Personificação

Existe vários conceitos para figuras de linguagens, a sua maior finalidade é de que expressa por meio de escrita ou mesmo da fala um pensamento, ideia e para isso acontecer é só fazer uso dos recursos linguísticos.

Em figuras de linguagens por ser um conteúdo extenso, ele se classifica em quatro formas: Figuras de pensamento, Figuras de Construção, Figuras de palavras ou Figuras de Sons, nesse artigo em especifico você terá uma breve explicação do que vem a ser Personificação.

Essa figura de estilo está completamente ligada a figura de pensamento.

Personificação – o que é

Para iniciar o conteúdo, é importante que se entenda que Personificação também ganha outros atributos, ou seja, ele pode ser chamado de Prosopopeia ou Animismo, então caso veja esses dois nomes em alguma prova, não ache estranho pois elas também são utilizadas para definir o conceito de personificação.

Essa figura é muito usada nos textos literários, e facilmente você terá questões que lhe faça lembrar de personificação. Ela tem como finalidade está ligada ao efeito de personificar ou como podemos simplificar de que dará vida a seres inanimados.

Nele está incluso o comportamento, qualidades humanas, sentimentos ou até mesmo características.

Para essa explicação temos um exemplo:

O dia acordou triste.

Quando se lê esse exemplo, rapidamente você nota que a expressão “acordou triste” remete a sentimento, e remete ao sentimento humano. Pode-se dizer também que a palavra “dia” está associada ao substantivo inanimado.

Se você notar o próximo exemplo vai terá entendimento sobre o atributo de personificação, veja como o exemplo é empregado abaixo:

Naquela noite, a lua beijava o céu.

Para este exemplo, temos a seguinte expressão ”lua beijava” isso pode ter uma ligação de que nesse exemplo existe uma característica de em que se possui vida, sentimento, onde a lua beijava o céu. E para fazer complemento da palavra ” lua ” se torna um ser inanimado.

Esses exemplos são simples, mas basta fazer um atributo ao que vem a ser personificação. A personificação é uma derivação do verbo Personificar, uma vez sendo assim ela se remete a uma ação, e como prosopopeia tem  a mesma finalidade.

O estudante pode tomar esse como uma derivação do grego,  chamada de “prosopon” tem como tradução (pesssoa), e o seu complemente “poeio” (fingir), o que se remete a uma pessoa que finge algo, por tanto, tudo estar relacionado as características, comportamentos e sentimentos.

Pleonasmo

Para saber bem como funciona as figuras de linguagem é sempre importante entender que ela se divide em 4 classificações e dentro dessa classificação conhecemos um tipo de figura, e como Pleonasmo é uma figura de linguagem, é importante saber como ele funciona no cotidiano.

Pleonasmo – Etimologia

Antes de conhecer seu conceito, é bom saber a sua origem que se dá por meio da palavra vinda do grego iniciada em “polys” que significa “muito”, o termo “pleon” quando unimos se torna “pleonasein” e quer dizer que “mais que o suficiente”.

Por meio desse breve significado, temos assim a chance de conhecer o seu conceito.

Pleonasmo – Conceito

Após saber da origem vinda do grego, a figura Pleonasmo pode ser caracterizada pelo seu significado ” mais que suficiente”, dessa forma ela pode ser vista como redundância, e pode se vista em duas formas: Litérário e Vicioso.

O pleonasmo Literário: é aquele em que pode ser reforçado ou pode chamar a atenção daquilo que deseja transmitir, esse é o contexto muito usado pelos escritores e poetas.

Chovia uma triste chuva de resignação.

O Pleonasmo Vicioso: é aquele que está ligado ao dia-a-dia, ou seja, esse tem uma redundância de uso das palavras sem nenhum objetivo, ou melhor afirmando, é um vício de linguagem.

Nesse caso, o Vício de linguagem é toda aquela expressão que se encontra fora da norma culta da língua.

Você sai para fora.

Temos o primeiro exemplo relacionado ao literário, exemplo esse muito usado que fala que o autor faz uso repetido da ideia junto ao verbo usado. No caso do segundo exemplo, temos um vício de linguagem.

Dessa forma, é importante frisar que o conceito de Pleonasmo pode ser visto como uma figura que caracteriza a repetição para deixa o texto, a frase ou mesmo a ideia repetida de maneira desnecessária. Veja assim os demais exemplos que você pode encontrar sobre Pleonasmo:

Exemplos:

Sua escolha é opcional.

Só de noite pode escurecer.

Sua opinião pode ser pessoal.

Rir meu riso.

A brisa matinal da manhã.

Morrerás morte vil na mão de um forte.

Faça o seu planejamento antecipadamente João.

Silepse

Para saber como a Silepse funciona em nosso cotidiano é importante saber que essa figura de linguagem tem a sua própria estrutura gramatical e que ao estudarmos conseguimos detectar qual é a sua funcionalidade.

Por isso, Silepse é uma figura de construção ou pode ser vista como sintaxe, e será apresentada junto ao seu conceito, origem e com os exemplos para obter maior entendimento.

Origem – Etimologia

Antes de obter a base conceitual sobre Silepse, a sua origem é um bom caminho para saber como ela funciona. A sua origem derivada do grego quer dizer syllepsis, essa por sua vez, pode significar ” tomar em conjunto”, ” ato ou formar de compreensão”. Diante desse significado pode ser estruturado o conceito sobre essa figura.

Silepse Conceito

Como a sua origem fala sobre “ato de compreensão”, teremos em seu conceito que Silepse é uma concordância ideológica e esse embasamento pode ser visto quando a Silepse dentro de uma frase, toda vez deixa de concordar com alguma palavra ou uma expressão.

Essa por sua vez, pode ser encontrada em 3 formas: número, gênero ou pessoa.

Confira o primeiro exemplo sobre essa figura de linguagem.

Recife é cheia de surpresas.

Dentro dessa frase encontramos o gênero, isso se dá porque Recife é um substantivo comum.

A palavra usada para dá concordância é “cheia”, então ao ler saberemos que ” a cidade do Recife é cheia de surpresas”.

A população chegou agitada ao comício, levavam cartazes e apitos.

Nessa construção notamos que o início da frase não encontramos essa figura de linguagem, ela só aparece na frase para concorda quando vemos o verbo “levavam” que está na 3ª pessoa do Plural e a sua função é concordar com a ideia de muitas pessoas.

Confira os demais exemplos que pode lhe ajudar a identificar o que realmente pode ser Silepse nas frases ou nas expressões do dia a dia.

Exemplos:

O Rio de Janeiro é movimentado.

Você é obrigado a varrer até cair morto.

Corria gente de todos os lados, e gritava – Mário Barreto

Os brasileiros choramos a derrota da Seleção contra Alemanha.

Sinestesia

Sinestesia é mais uma figura de linguagem e mesmo sendo uma temática ampla, essa que faz parte da figura de palavra/ semântica e tem várias denominações que o estudante pode identificar essa figura nas frases.

Essa figura de linguagem tem como finalidade fazer a união entre determinadas sensações com alguns órgãos do ser humano como é o caso do olfato, visão, paladar, audição, tato. O texto por meio da sinestesia torna-se mais expressivo.

O que é Sinestesia

Diante de sua etimologia, a palavra vem da origem grega synesthesia que em contrapartida significa Sensação, como também pode significar “sentir junto”, “sentir próximo”, “sentir no mesmo momento”.

Portanto o conceito de Sinestesia é quando o a expressão do que se sente se mistura com a sensação, essa se torna a figura de linguagem em questão.

Aquele rapaz tem uma voz aveludada.

Nessa frase, encontramos justamente uma junção da audição com a palavra aveludada que vai remeter ao tato. Segue um outro exemplo para maior entendimento.

João, seu perfume é muito doce!

Independentemente de quem seja o sujeito na frase, o que deve ser levado em consideração em que existe uma junção entre o paladar quando se remete ao doce, e ao olfato devido a sensibilidade de sentir o cheiro, sendo ligado assim olfato com o Perfume.

Figura de linguagem – Sinestesia

Um outro conceito que pode complementar as atribuições anteriores, é de que a relação dessa figura de linguagem está associada aos sentidos do ser humano, através do tato, olfato, visão, audição e paladar, tendo assim uma maior dinâmica nos textos ou por via oral.

Nesse caso, será uma associação das sensações com as simultâneas empregadas nas frases.

Ao seu redor, só existe olhares frios.

Minha mãe tinha cheiro doce de morango.

No primeiro exemplo é possível identificar que que existe uma junção da visão por meio da palavra olhares, ao sentimento associado de frio, esse que caracteriza o tato porque sentimos.

Já no segundo exemplo, temos como um exemplo que fala sobre cheiro que remete ao olfato, com a junção de doce de morango associando assim o paladar.

A sinestesia é uma figura de linguagem que é muito utilizada pelos poetas, pelos escritores literários, jornalistas, músicos, são pessoas que possivelmente faz uso dessa figura para construir assim um texto associativo ao sentimento e aos sentidos.

Segue mais exemplos sobre sinestesia:

O sabor azedo de suas palavras machucou meu coração.

A cor do short é rosa gritante.

Beijo doce da linda flor.

Entre vocês só existe cheiro de mar.

Inep_Oficial

Inep_Oficial

PaginadoParticipante.com é um portal votado para estudantes que quiserem ficar dentre das notícias sobre: Enem, Sisu, Prouni, Fies, Encceja, Fatec, Etec, e muitos mais programas do Governo Federal do país. Não perca a sua chance e faça a inscrição agora. Fique ligado/a.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *